segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Eu, super-herói

Na época de colégio e, posteriormente, num cursinho pré-vestibular, eu e meu amigo punk (aquele mesmo que me apresentou os Mighty Mighty Bosstones) tínhamos altas discussões nerds sobre qual super-poder nós teríamos se pudéssemos escolher. Não eram daqueles inúteis desse blog aqui. Bom, pelo menos não tão inúteis. Eles tinham utilidades específicas, mesmo que não fossem muito construtivas.

Tinha aqueles clichês de teletransporte, pele invulnerável (pra dar tapa na cara de traficante), mas também os mais elaborados, geralmente bem babacas. Um dos meus preferidos era o poder de colocar a sua voz dentro de uma bolha, jogar pra onde quisesse e estourar quando bem entendesse. Geralmente pensávamos nisso como uma estratégia pra xingar professores de quem não gostávamos...

Malditos sejam!
Outro que me maravilhava (e ainda me encanta) era o de, durante um dia inteiro por ano, poder comer  a quantidade que quisesse da comida que quisesse sem me saciar e, o mais importante, sem engordar.

O preferido dos gordinhos!
É, confesso que não eram poderes muito nobres, mas nós nos divertíamos muito. E você, já pensou nisso alguma vez? Qual poder babaca você sonhava (ou sonha, vai saber) ter?