terça-feira, 30 de setembro de 2014

Fazendo as Malas - Tour por SP Parte 5 - Na estrada

Confira antes a parte 1, a parte 2, a parte 3 e a parte 4!

Os hotéis em Campinas eram meio carinhos para o nosso bolso, então começamos a procurar alternativas. Vimos no Airbnb, tentamos CouchSurfing,... Nada parecia dar certo e já estávamos nos conformando em gastar um dinheirinho a mais quando uma lâmpada acessa surgiu sobre nossas cabeças: motel! Nós só iríamos passar uma noite mesmo... E em cidade universitária todo mundo sabe que tem motel barato! Entrei no Guia dos Motéis e acabei optando pelo Misk Motel. Valeu muito a pena! Pagamos menos da metade do que qualquer hotelzinho queria e ainda tivemos café da manhã incluído! :D

Acordamos cedinho e botamos o pé na estrada novamente, em direção à fábrica da Glarus, em Ipeúna. Eu estava louca para conhecer o lugar depois que soube da existência do Pingo Bier, o líquido mágico que transforma qualquer chopp claro em escuro. Tinha enviado um email para eles pedindo para fazer a visita e eles foram super simpáticos do início ao fim! Chegando lá fomos recebidos maravilhosamente e tivemos a oportunidade de provar um chopp fresquinho, ganhamos presentes (Pingo Bier!), ouvimos com atenção todas as explicações, caminhamos pelas instalações,... Foi ótimo! Acho que nunca havia sido tão bem recebida! E tudo isso com uma visita que foi inteiramente gratuita!

Continuamos viagem em direção ao Museu TAM, em São Carlos. Esse era outro lugar que eu queria conhecer havia um tempo, depois de ler uma matéria na revistinha de bordo em algum voo da TAM. Eu temia que fosse me decepcionar com o acervo, afinal, é um museu no meio do nada, em uma cidadezinha do interior de SP... Não dá para esperar muito né?


Sorte que eu me enganei! O acervo é ótimo, o museu é gigante, super interativo e moderno, a lojinha é super completa (e cheia de coisas legais!!), é tudo super amplo e limpo!


Logo no hall de entrada já tem um avião bem acima de nossas cabeças e percebemos o quanto o museu é bem pensado: repara só que nos caixas para comprar os ingressos fica escrito "Check in"!

A visita começa com um museu interessante contando um pouco da história da aviação e da própria TAM, mas a parte mais legal vem depois: dezenas de aviões!

Turbina pequenininha, né?


Aproveitamos para almoçar no restaurante do museu, que foi a única coisa que eu não curti muito... Pelo que percebi, vários funcionários da TAM comem lá, mas, apesar da comida ser barata, era bem sem graça (para não falar ruim).

Mas a estrada nos esperava e seguimos viagem até Araraquara, mais especificamente Bueno de Andrada. A crônica de Ignácio de Loyola Brandão já havia chegado as minhas mãos e eu estava ansiosa para provar as famosas Coxinhas Douradas!
Chegando lá vimos vários carros estacionados, com placas das mais diversas cidades e sabíamos que estávamos no lugar certo! Encaramos uma pequena (e rápida) fila e pedimos duas coxinhas. Ganhamos uma de calabresa de graça, pois ela havia aberto na hora de fritar, (iniciativa legal, né?) e fomos devorar: que delícia! 


O Lucas diz que prefere a da Lecadô, mas eu discordo. A coxinha de Bueno de Andrada tem aquele ar de conquista, sabe? E nenhuma loja de shopping te proporciona isso! 

Só acho que deveriam investir em mini coxinhas, pois todo mundo sabe: melhor que coxinha, só mini coxinha!


Não tinha mini coxinha, mas tinha coxinha gigante!
De lá fomos direto para Ribeirão Preto, onde eu passei a noite matando a saudade da família!